sexta-feira, 8 de junho de 2018

POLÍCIA CIVIL INVESTIGA A MORTE DE MAIS UM PM NO PARÁ

Polícia Civil investiga a morte de mais um PM no Pará (Foto: Marco Santos/Diário do Pará)

Delson Luis Rodrigues foi o 28º policial militar morto no Pará neste ano (Foto: Marco Santos/Diário do Pará)
A Polícia Civil continua investigando o 28º assassinato de policial militar, esse ano, no Pará. O cabo PM reformado Delson Luis Rodrigues da Silva, 50 anos, voltava do supermercado quando foi executado a tiros em frente à esposa na noite de quarta-feira (06), na Cidade Nova 2, em Ananindeua.
O caso aconteceu por volta das 21h, na rua SN 03, da Cidade Nova 02, próximo a praça da Bíblia. Segundo a Polícia Civil, os criminosos chegaram em um carro, mas ainda não se sabe se o crime foi latrocínio ou homicídio, mas sua arma foi levada pelos criminosos. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios de Agentes Públicos, vinculada à Divisão de Homicídios.

OUTROS TRÊS
Duas semanas antes do assassinato do cabo reformado, três policiais militares foram mortos na região metropolitana de Belém. No dia 23 de maio, o cabo Giorgio Silva Salame, 38 anos, baleado no dia 9 de maio, morreu e se tornou o 27º PM assassinado no ano. No dia anterior, o sargento Sebastião Rosário foi assassinado na rua 10 de maio, bairro do Una, em Belém. Ele levava a esposa para a igreja, de motocicleta, quando foi atingido na cabeça por dois criminosos, que aguardavam sua passagem. O militar morreu no local e os assassinos ainda roubaram a arma que ele portava.
No mesmo dia (22), o 1º sargento da reserva remunerada Elias Brasil Silva, também evoluiu a óbito depois de ser internado por um mês, vítima de um baleamento durante atentado.
No dia 21 de abril, ele jogava uma partida de futebol no campo conhecido como Chuveirinho, no bairro Sideral, em Belém, quando homens chegaram em duas motos e, sem levantar suspeitas, fizeram mais de 20 disparos contra quem ali estava. 
Os policias militares Elias Brasil Silva e Rômulo João Rômulo dos Santos Marques foram atingidos e também quatro pessoas. Todos foram socorridos, à exceção do pedreiro Manuel dos Santos Sousa, 60 anos, que morreu na hora. 

(Alice Martins Morais/Diário do Pará)
 
▲ Topo>