quinta-feira, 14 de junho de 2018

EX-PREFEITO E IRMÃO SÃO DETIDOS DURANTE A 'OPERAÇÃO LAÇO CURTO'

Ex-prefeito e irmão são detidos durante a 'Operação Laço Curto'  (Foto: Divulgação/Promotoria de Justiça)

Com o objetivo de investigar a ocorrência de crimes de fraude em licitações, peculato, desvio, associação criminosa e improbidade administrativa, praticados durante a gestão do ex-prefeito Benedito Vasconcelos de Oliveira Filho, o Ministério Público do Estado do Para (MPPA), deflagrou ontem, em conjunto com Polícia Civil, no município de Cachoeira do Arari, na região das ilhas do Marajó, a “Operação Laço Curto”. 
Conforme a investigação realizada, o ex-prefeito e seus associados fraudaram diversas licitações, direcionando os vencimentos dos certames licitatórios realizados no município de Cachoeira do Arari, causando enorme prejuízo ao erário, uma vez que a maioria das obras não foram concluídas. 
Segundo as investigações, os desvios e desmandos do ex-prefeito foram praticados entre os anos de 2012 e 2016.De acordo com o que foi apurado, o ex-prefeito nomeava pessoalmente todos os membros da Comissão Permanente de Licitação do município (CPL), dentre pessoas da confiança dele, para concluir os feitos.
Inclusive, um dos membros da comissão, Maria da Conceição Vasconcelos Oliveira, era tia de Benedito. Segundo o MPPA, Maria teria contratado a pregoeira Raimunda de Carvalho Pereira para que organizasse todas as licitações promovidas no município de Cachoeira do Arari/PA, para facilitar as fraudes.
“Ressalte-se que durante o período da gestão do ex-prefeito, a evolução patrimonial dele próprio e do seu irmão Luís Fernando da Silva Oliveira foi notória e incompatível com as suas remunerações na prefeitura de Cachoeira do Arari, considerando ainda o exercício de outras atividades empresariais lícitas”, diz o promotor do município, André Cavalcanti de Oliveira.
Na operação foram cumpridos mandados de busca e apreensão na residência do ex-prefeito e na fazenda “Laço Grande”, de propriedade do irmão dele, Luís Fernando da Silva Oliveira, tendo sido encontrados documentos públicos da Prefeitura de Cachoeira do Arari, bem como armas de fogo, munições, dinheiro e jóias. Também foram cumpridos mandados de prisão preventiva contra o ex-prefeito e o irmão dele.
(Diário do Pará)
 
▲ Topo>