segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

Carro preto mata 5 homens em apenas 3 horas

Carro preto mata 5 homens em apenas 3 horas (Foto: Fernando Araújo/Diário do Pará)
Em apenas três horas, cinco assassinatos foram registrados em Belém e Ananindeua, todos com as mesmas características: integrantes de um carro preto executaram suas vítimas a tiros, no meio da rua, em frente às mães e a mulheres grávidas. A onda de violência aconteceu em sequência em uma caçada que começou às 17h pelos bairros do Jaderlândia, Atalaia, Sideral, Cabanagem e Coqueiro. 
Apesar dos bairros serem diferentes, são ligados um ao outro pela proximidade entre as áreas. O primeiro acionamento para as equipes policiais e de remoção foi para o bairro do Jaderlândia, em Ananindeua, por volta das 17h. Werlison Pinheiro Monteiro, de 21 anos, conversava com um conhecido no meio da Rua São José, quando um carro preto parou e três homens armados desceram do veículo atirando na  dupla. "Ele estava conversando aí mesmo onde está o corpo, quando veio o carro preto e três homens desceram atirando. O amigo dele percebeu e correu.", contou o Sargento da PM Gilberto, do 6º Batalhão de Polícia Militar com base no relato de testemunhas que não deram mais detalhes.
Ainda segundo o militar, Werlison morava no município de Curuçá, nordeste paraense, e seria usuário de drogas. "Ele morava em Curuçá. Veio de lá para passar ano com uma companheira dele que mora na outra rua. Ela mesma disse que ele era usuário de drogas, mas desconhece que ele tenha passagem pela polícia", falou o sargento.
2ª Vítima 
A passagem União da Paz foi o endereço do segundo crime assassinato, no bairro do Atalaia, também em Ananindeua. Paulo André de Souza, de 20 anos, foi alvejado com oito tiros, sendo atacado por dois homens encapuzados, que também desceram de carro preto. Segundo informações de um policial civil, que preferiu não se identificar, a família afirmou que o jovem tinha ficha criminal, mas trabalhava atualmente como açougueiro e teria uma dívida pendente. 
3ª vítima
Por volta das 18h, Alan Cardoso Barbosa, de 21 anos, jogava bola com amigos em um campo de areia da quadra A do Conjunto Carneirinho,  bairro do Sideral, em Belém, a rua quase deserta de pessoas e a lei do silêncio não permitiram que a Polícia Militar colhesse muitas informações. De acordo com o Sargento Malcher, do 24º Batalhão de Polícia Militar, as poucas pessoas que estavam pela rua contaram apenas que um carro preto aproximou-se da vítima e fez os disparos de dentro do veículo. "Aqui ninguém fala nada, apenas disseram que foi um carro e de dentro mesmo dispararam. Pelo que percebemos, foram dois tiros, um na cabeça e outro na perna", falou.
Ainda de acordo com o militar, a mãe da vítima, que esteve no local, não queria que o filho fosse morar no bairro. "Ele era carroceiro e morava no bairro do 40 Horas, a mãe chegou a alertá-lo, dizendo que não era para ele vir para cá pro Sideral, porque era perigoso", falou o militar. 
4ª vítima
Jonatan Travassos da Silva, de 21 foi o quarto executado, na  Rua Belém, bairro da Cabanagem. De acordo com a mãe do rapaz, que pediua para não identificada, testemunhas relataram a ela como o filho morreu. "Disseram que ele estava na frente dessa casa, chegou um carro preto e ele correu para dentro dessa casa. Três homens desceram do carro e tiraram ele de lá de dentro e trouxeram para a rua", falou a mulher. Ainda segundo ela, o filho estava sendo ameaçado. "Ele foi preso por roubo e foi ameaçado por essa pessoa, isso aconteceu há um ano. Tanto que eu avisei ele, para não se meter com más companhias, isso são as más companhias", falou. 
5ª vítima
O quinto assassinado, ainda não identificado, foi morto quando a equipe de reportagem do Diário procurava o endereço do local do crime anterior. Populares apontaram a Passagem Funda, bairro do Coqueiro, cerca de 1km de distância de onde Jonatan Travassos foi assassinado. Os moradores contaram que o crime havia ocorrido há apenas 10 minutos, por volta 19h. No local as pessoas ainda corriam de um lado para o outro, entrando e saindo da casa da mãe da vítima.
Segundo os moradores, o homem e a mãe estavam na porta de casa, quando um carro preto entrou na passagem em velocidade baixa e alvejou o alvo com cerca de sete tiros. 
Em todos os relatos, o modelo do veículo utilizado para a autoria dos crimes não foi identificado.
(Emily Beckman/Diário do Pará)

 
▲ Topo>