segunda-feira, 6 de novembro de 2017

SERVIDOR QUE AGREDIU E IMPEDIU PAI DE ACOMPANHAR PARTO DA ESPOSA EM SANTARÉM, NO PARÁ, É EXONERADO


Caso aconteceu no dia 4 de novembro no Pronto Socorro de Santarém. Após agressão, Ronei Araújo (vítima) foi à polícia, retornou ao PSM e recebeu atendimento médico.
O servidor que agrediu com socos e impediu que um pai acompanhasse o parto da esposa no Pronto Socorro Municipal (PSM) de Santarém, no oeste do Pará, foi exonerado das funções exercidas na unidade hospitalar. A informação foi divulgada pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) nesta segunda-feira (6).
O caso aconteceu na manhã do dia 4 de novembro, quando Ronei Araújo chegou com a esposa no PSM. Ela passou pela porta que dá acesso aos setores de atendimento hospitalar, mas servidores não permitiram o acesso do acompanhante.
De acordo com testemunhas, Ronei argumentou que a esposa tinha direito de ter um acompanhante e que isso estava assegurado na Lei Nº 11.108/2005. Para registrar a situação, o homem pegou o celular e começou a filmar o impedimento feito pelos servidores. Enquanto ele filmava, um porteiro do PSM o agrediu com socos, que quebraram o nariz de Ronei.
Após as agressões ele acionou a Polícia Militar e foi a 16ª Seccional de Polícia Civil tentar registrar o caso. Os policiais plantonistas informaram que registrariam o Boletim do Ocorrência (B.O) após Ronei receber atendimento médico, visto que o nariz apresentava sangramento.
Ao retornar ao PSM, ele passou por avaliação do médico plantonista e do bucomaxilo, fez exames de imagens e foi encaminhado para o otorrinolaringologista.
A Lei
Sancionada em 7 de abril de 2005, a Lei Nº 11.108 garante às mulheres em trabalho de parto o direito à presença de um acompanhante durante o trabalho de parto, parto e pós-parto imediato realizado no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). O acompanhante deve ser indicado pela gestante.
Entrada exclusiva
Devido às reclamações relacionadas ao tempo de espera no atendimento geral da triagem do Pronto Socorro Municipal, as grávidas em trabalho de parto passaram a contar desde o dia 16 de outubro com uma entrada exclusiva na unidade hospitalar. Essa entrada hoje é feita pela Casa de Saúde da Mulher que funciona em anexo ao Hospital Municipal. Porém, a nova entrada funciona somente de segunda a sexta-feira, de 7h às 17h. Aos finais de semana as grávidas são atendidas na mesma recepção dos demais pacientes, no Pronto Socorro Municipal.
A Casa de Saúde da Mulher fica localizada na Avenida Barão do Rio Branco, no bairro Santa Clara. As pacientes passam por uma triagem na sala de acolhimento e logo após são encaminhadas para os devidos procedimentos na obstetrícia, dependendo do grau de vulnerabilidade de cada gestante.
Em nota, a Semsa informou que para proporcionar mais conforto e agilidade ao atendimento das pacientes grávidas, o acesso ao Hospital Municipal pelo Centro de Referência em Saúde da Mulher, deve passar a ser 24 horas ainda este mês, e os servidores do HMS devem passar por curso de capacitação e humanização nos dias 16 e 17 de novembro.
Ainda segundo a Semsa, o processo licitatório para reforma e adequações do setor de obstetrícia do Hospital Municipal já está em curso. A Secretaria lamentou o ocorrido e disse que preza pela qualidade e humanização nos atendimentos aos pacientes e acompanhantes.

(Informações da Redação do Portal Ligação Reproduzidas do G1)
 
▲ Topo>