quarta-feira, 1 de novembro de 2017

MÃE DE 98 ANOS MUDA DE ASILO PARA CUIDAR DO FILHO DE 80 NA INGLATERRA

Ada Keating, de 98 anos, abraça o filho mais velho, Tom, em asilo em Liverpool
Ada Keating, de 98 anos, abraça o filho mais velho, Tom, em asilo em Liverpool
A história de amor entre Ada Keating e o filho mais velho, Tom, está comovendo a internet.
A mãe de 98 anos, que já morava em um asilo, se mudou para a casa de repouso Moss View, em Liverpool, na Inglaterra, para ficar com o filho de 80 anos, que está precisando de cuidados especiais.
Segundo informações do “Daily Mail”, Ada e o marido já falecido, Harry, tiveram quatro filhos: Tom, Barbara, Margi e Janet, que morreu aos 13 anos de idade.
Antes de se aposentar, Tom trabalhava como pintor e decorador. Em 2016, ele teve que ir para a casa de repouso. Ele não se casou nem teve filhos. Em pouco menos de um ano, Ada pediu transferência a Moss View para cuidar de Tom.
De acordo com o “Daily Mail”, Ada e Tom são inseparáveis e adoram assistir à novela britânica de sucesso “Emmerdale” juntos ou brincar de jogos.
“Eu dou boa noite ao Tom em seu quarto todas as noite e sempre vou dizer bom dia para ele também”, contou Ada sobre o cotidiano com o filho Tom na casa de repouso. “Quando eu vou ao cabeleireiro, ele sempre aparece procurando por mim para saber quando eu volto. Ele sempre me recebe de braços abertos e me dá um abraço apertado”, afirmou.
Ada e Tom estão vivendo juntos na mesa casa de repouso na Inglaterra
“Eu estou feliz em ver mais minha mãe agora que ela vive aqui. Ela é muito boa cuidando de mim. Algumas vezes, ela ainda diz: ‘se comporte!'”, revela Tom.
Reprodução/Daily Mail
Mãe e filho adoram ver novela e brincar com jogos na casa de repouso
O gerente do asilo Moss View está feliz com o encontro de mãe e filho: “É muito tocante ver a relação que Tom e Ada compartilham e nós estamos felizes de atender as necessidades deles. É muito raro ver mães e filhos juntos na mesma casa de repouso e nós certamente tentamos fazer o tempo deles conosco o mais especial possível”. 
(Com informações do “Daily Mail”)
 
▲ Topo>