domingo, 12 de março de 2017

RAPAZ É MORTO COM QUATRO TIROS NO CURUÇAMBÁ

Rapaz é morto com quatro tiros no Curuçambá (Foto: Mauro Ângelo) 

No meio do triângulo formado pelas dobras da fita de isolamento de local de crime estava o corpo de mais uma vítima de homicídio na Região Metropolitana de Belém. Edson Gonçalves do Rosário, de 25 anos, ainda correu cerca de duzentos metros, deixando um rastro de sangue pela rua até que não suportou os ferimentos dos quatros disparos que sofreu e caiu de bruços na pista. O autor dos disparos e os motivos do crime ainda são desconhecidos pela polícia.

Os moradores acordaram com os estampidos dos tiros por volta de 1h30 de ontem (11). O silêncio após os disparos permitiu que alguns deles fossem ver o que havia acontecido e o que encontraram foi o corpo da vítima caído na esquina da Estrada do Curuçambá com rua Palmeira, bairro Curuçambá, Ananindeua.

Segundo informações fornecidas pelo aspirante da Polícia Militar (PM) Renan Duarte, da 1ª Companhia (Cia) do 29º Batalhão de Polícia Miliar (BPM), nenhuma testemunha soube dar qualquer detalhe sobre as circunstâncias do crime. “Aqui as pessoas não souberam dizer nada. Há rastros de sangue da rua Palmeira até aqui onde ele caiu. Os moradores contaram que ouviram apenas os tiros, mas ninguém viu nada”, disse.

Evaldo do Rosário, pai da vítima, contou em poucas palavras à reportagem que o filho era dependente químico, mas não teria recebido ameaças de morte de ninguém. “Ele era usuário de drogas, mas não mexia com ninguém. Trabalhava em um mercadinho, tinha uma filha e mulher. Eu conversava com ele, dava conselhos, mas enfim. Até onde eu sei, ele não devia pra ninguém e nem recebia ameaças”, falou.

Os peritos do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves e policiais da Divisão de Homicídios (DH) foram acionados pelo Centro Integrado de Operações (Ciop) para o levantamento de local de crime. Os investigadores da Polícia Civil colheram depoimentos de moradores para iniciarem as apurações do caso.

Durante as análises no corpo de Edson, os peritos encontraram quatro lesões de arma de fogo, além de um isqueiro em um dos bolsos e a quantia de R$1,50 em moedas. “Foram quatro tiros. Dois atingiram o braço e antebraço esquerdo. Outro foi nas costas e um no peito, que foi o que provocou sua morte”, explicou Robson Nunes, perito criminal.

Após os procedimentos, o cadáver foi removido para o Instituto Médico Legal (IML). O caso deverá ser investigado pela Seccional Urbana do Paar.
(Fabrício Nunes/Diário do Pará)

 
▲ Topo>