sábado, 4 de março de 2017

ITAITUBA//PA:POPULARES PROTESTAM CONTRA NOTIFICAÇÃO DE REINTEGRAÇÃO DE POSSE DO TERRENO INVADIDO NO BAIRRO JARDIM AEROPORTO


Na manhã desta sexta-feira, populares que ocupam um imenso terreno localizado no bairro Jardim Aeroporto, ao lado do residencial Wirland Freire, receberam uma notificação de reintegração de posse imediata por parte do proprietário.
Após negociação amigável, ficou acertado que todos devem sair até no máximo quarta-feira (08), após o acontecido alguns vereadores foram solidários e se colocaram a disposição dos moradores, marcando presença no local ainda na manhã de hoje. Está marcado para as 14:00 horas uma reunião entre os coordenadores da invasão e vereadores na câmara, onde irão discutir sobre questões de documentação do terreno, que segundo os eles, estava completamente abandonado a muitos anos.

Em conversa com FRED VIEIRA, um dos líderes de um dos movimentos que apoiam essa posse de terras, os populares se sentiram um pouco intimidados com o forte contingente de policiais militar e tático, que classificou como excessivo, mas que tudo ocorreu de forma pacífica dentro da normalidade. O fato é que caso os populares não saiam das terras até o dia negociado, há grandes possibilidades de que a polícia venha preparada para derrubar tudo.

Em forma de protesto, os populares resolveram fazer uma manifestação no local, com cartazes e queima de destroços. O local invadido tem aproximadamente 382 lotes, os ocupantes estão no processo de habitação desde o dia 25 de janeiro. Segundo informações apuradas, o suposto proprietário da terra, incentivou as pessoas a invadirem com intuito de negociar a área com a prefeitura, por um valor de DEZ MILHÕES DE REAIS, mas a prefeitura de Itaituba não teve condições de fazer aquisição da área com esse valor exorbitante. Após o insucesso nas negociações com a prefeitura o empresário que diz ser titular do terreno, deu entrada em uma liminar, o pedido de reintegração de posse a princípio foi derrubado, mas após o proprietário juntar algumas provas a justiça concedeu a reintegração imediata.


 
▲ Topo>