sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Preso assaltante de escola flagrado em ação

Preso assaltante de escola flagrado em ação (Foto: Rubio Marra)
Adriano Dias Silva tem apenas 18 anos, mas já possui uma ficha criminal extensa. Na adolescência cometeu infrações e para “quitar a sua dívida” com a sociedade cumpriu medidas socioeducativas e prestou serviços comunitários. Ao completar a maioridade foi preso por tráfico de drogas, crime pelo qual ainda responde a processo na Justiça.
Atualmente, usa a tornozeleira que indica que é monitorado pelo Sistema Penitenciário. Ontem (10), foi preso novamente em flagrante pela Polícia Militar.
Desta vez por invadir a Escola Estadual Paraense, no conjunto Cidade Nova 6, em Ananindeua, para assaltar alunos e funcionários. A
driano, por sinal, é vizinho desta escola. Ele estava na companhia de um comparsa, que conseguiu fugir, no momento em que a polícia chegava. O acusado foi levado para a Seccional Urbana da Cidade Nova, onde o caso foi registrado.
Na delegacia, o acusado alegou que estava sozinho e admitiu que invadiu a escola pulando o muro. Hoje ele deverá ser submetido a audiência de custódia.
Segundo o investigador de Polícia Civil Moreira, Adriano estava há alguns dias invadindo três colégios estaduais de Ensino Fundamental e Médio que estão localizados um do lado outro, sendo elas as escolas Oneide de Souza Tavares, Antônio Gondin Lins e a Escola Paraense – onde foi preso. “Ele age junto com outro rapaz - conhecido pelos apelidos “Careca” ou “Prego” – que fugiu”, frisou Moreira.
A diretora da escola esteve na Seccional, mas não quis dar entrevistas. Alunos e pais de alunos, que já foram vítimas dos assaltos praticados por Adriano, também se deslocaram para a delegacia para reconhecer o assaltante.
O acusado foi pego pela polícia militar no início do turno da tarde. A PM já estava fazendo rondas próximo a escola quando foi acionada. Apesar da situação, as aulas foram mantidas.
Alunos contam que não usam mais a quadra de esportes 

 A reportagem foi até a Escola Estadual Paraense, mas não teve permissão para entrar. Em frente, alunos relataram os diversos assaltos que já aconteceram dentro da escola.
“A gente já não usa a quadra de esporte para as aulas de Educação Física. Os assaltantes pulam o muro e quem estiver na quadra é assaltado”, relatou um adolescente estudante do 9º ano do Ensino Fundamental. “No último assalto, 3 alunos tiveram os celulares roubados. E eles invadem armados e vão até nas salas”, denunciou o estudante.
Durante o tempo em que esteve no local, a reportagem observou que 2 vigilantes estavam trabalhando no prédio. Outra aluna relatou que geralmente os assaltantes ficam em uma passagem próximo a escola observando a chegada de alunos no início de cada turno. Quando as aulas começam é que eles invadem a instituição.
A Secretaria de Estado de Educação informou que a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) mantém atendimento especializado e preventivo destinado às unidades de ensino, por meio de ações da Companhia de Policiamento Escolar (Cipoe) da Polícia Militar.
A Polícia Civil também participa desse processo e procura agir o mais rápido possível na captura dos responsáveis pelos assaltos, como ocorreu ontem (10), na Escola Estadual Paraense.
A Seduc informou também que a PM desenvolve as ações da ‘Rede de Proteção Escolar’, que utiliza aplicativo de mensagens whatsApp, o que possibilita a troca de informações entre a comunidade escolar e os agentes de segurança, para combater e prevenir a criminalidade.
(Denilson D`almeida/Diário do Pará)
 
▲ Topo>