sábado, 1 de outubro de 2016

Taxista desaparece após passageiro fretar veículo

Taxista desaparece após passageiro fretar veículo (Foto: Divulgação)
Entra para o terceiro dia a procura pelo taxista Antônio Liberato Cardoso Soares, 68 anos, que desapareceu desde o último dia 29, após pegar uma corrida com um passageiro no bairro de São Brás, onde faz ponto, em Belém. O caso já está sendo investigado pela polícia civil. Antônio foi visto pela última vez por volta das 9h da última quinta-feira, quando um suposto passageiro fretou o táxi para ir a cidade de Barcarena. Desde então, ninguém mais viu o trabalhador.
A falta dele foi sentida, a noite, pela família, porque ele não chegou em casa no horário que costumava encerrar o trabalho. Ao fazerem a procura por ele no ponto de táxi, foram informados que ele teria pegado uma corrida para Barcarena, ainda pela manhã. A ocorrência policial foi registrada na Seccional de São Brás e o carro de Antônio foi encontrado em Nova Timboteua, nordeste paraense, já na madrugada de sexta-feira (30).
Boletim de Ocorrência foio registrado na seccional e detalha a denúncia feita por familiares do taxista (Foto: Divulgação)
O filho do taxista, Felipe Augusto Soares, 30, contou que o carro só foi encontrado após um acidente na cidade, o carro capotou na estrada. O veículo (placa OTR-0989) era dirigido pelo suposto passageiro com quem Antônio tinha saído do ponto. O suspeito,  identificado como Izael Silva Santos, 27 anos, foi socorrido e a polícia confirmou que o carro estava como roubado no sistema.
“No primeiro esclarecimento à Polícia, ele (o suspeito) disse que tinha fretado o táxi do meu pai por R$ 200 reais para ir para Barcarena. No caminho pegaram uma mulher no Terminal e seguiram viagem. Depois quando chegaram na Alça Viária pegaram mais outro rapaz e anunciaram o assalto”, relatou Felipe.
Segundo Felipe Soares, o suspeito confessou o latrocínio para polícia, alegando que agiu em conjunto com um indivíduo identificado como "Branco" e sua esposa. Logo depois Izael teria voltado atrás na versão, afirmando que fez o assalto mas não matou Antônio. Na segunda versão, Izaias disse que após agressões desferidas contra o taxista, o teriam abandonado ainda com vida próximo a ponte da Alça Viária.
“Primeiro ele falou que despejaram o corpo próximo a Vila do Conde”, continuou. “Já, hoje (ontem), disse que eles não tinham matado o meu pai e sim deixado ele amarrado em uma área próximo a Santa Bárbara”, completou.
A polícia está a procura e o suspeito continua detido. Na manhã deste sábado(01) Izael foi conduzido pela polícia até o local onde supostamente teriam abandonado o taxista, mas nada foi encontrado. O paradeiro de "Branco" e a suposta esposa de Izael permanece desconhecido. A história ainda é um mistério, mas a família tem esperanças de que o taxista ainda seja encontrado com vida.
(Denilson D'Almeida/Diário do Pará)
 
▲ Topo>