terça-feira, 11 de outubro de 2016

Morto a tiros no quintal da própria casa

Morto a tiros no quintal da própria casa (Foto: Divulgação/PM)
Pelas redes sociais rolou a maior indignação dos moradores do município de Anajás na Ilha do Marajó depois que homens não identificados mataram a tiros Jonas Santiago de Carvalho, de 59 anos, quando este saia no quintal para alimentar uma cadela.

“Gente, não podemos ficar inertes a esta grande onda de violência que está acontecendo em nossa amada cidade! Precisamos nos mobilizar! Ontem foi a vida de um pai de família, mas hoje ou amanhã pode ser alguém da nossa família”, escreveu um internauta.

Outro integrante de uma rede social escreveu. “Estamos reféns desses bandidos que acham que podem tudo e não sofrerão punição. Devemos ir às ruas, pois assim talvez nos ouçam. Precisamos de medidas urgentes. Ou amanhã pode ser eu ou você a próxima vítima dessa onda de terror”.

O homicídio foi registrado na Delegacia de Polícia Civil de Anajás por Relator Natanael Santiago de Carvalho comunicando que seu irmão Jonas Santiago de Carvalho foi assassinado em sua residência com 3 disparos de arma de fogo, quando foi até o quintal de sua residência alimentar uma cadela.

O crime ocorreu por volta das 4h desta segunda-feira (10) na rua João Martins, Centro de Anajás. A residência de Jonas Santiago já tinha sido vítima da ação criminosa há 4 meses quando quatro homens encapuzados invadiram o local na tentativa de roubar a casa.

Jonas Santiago teria reagido ao assalto e os ladrões não conseguiram obter êxito em suas investidas. A vítima não registrou ocorrência com medo de represálias e mesmo assim teria recebido ameaças de morte veladas fato concretizado nesta segunda-feira (10).

INSEGURANÇA

A situação no município de Anajás é de extrema gravidade. Todos os dias são relatados assaltos e furtos. Com uma população de 26.523 moradores, segundo dados estatísticos de 2008, o município sofre uma onda de violência sem precedentes em sua história.

Um destacamento de dez homens da Polícia Militar em sistema de plantões se reveza para tentar diminuir a violência que tem como pano de fundo o tráfico de drogas que chega pelo rio que corta o município. Oito pessoas foram assassinadas na cidade neste ano e a maioria dos crimes acabou virando estatística. O assassinato de Jonas Santiago de Carvalho está mobilizando os moradores do município para uma grande passeata no sentido de sensibilizar as autoridades do município e do Estado que algo precisa ser feito e urgente antes que novas vidas sejam ceifadas. 

(J.R. Avelar/Diário do Pará)
 
▲ Topo>