quinta-feira, 21 de julho de 2016

Gestores da Segup avaliam índices de criminalidade do primeiro semestre

A Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) reuniu nesta terça e quarta-feira, 19 e 20, na sede da Delegacia Geral, em Belém, oficiais da Polícia Militar e delegados de polícia que atuam em todas as regiões do Pará, para o balanço das ações do Programa de Redução da Criminalidade (Prec). Os resultados apresentados nos dias do encontro referem-se ao balanço dos resultados obtidos entre os meses de janeiro e junho deste ano.

O primeiro dia dos trabalhos foi dedicado à apresentação das metas e objetivos atingidos e dedicado ao planejamento de novas metas. De acordo com a diretora do Núcleo de Gestão por Resultados, delegada Eugenia Andréia, "o encontro serve, primeiramente, para avaliar e prestar contas das ações do período e, em seguida, a Segup faz o reconhecimento das áreas integradas e regiões integradas de segurança pública com as certificações daquelas que lograram êxito na redução da criminalidade". 

Ainda de acordo com a delegada Eugênia, oito das 15 Regiões Integradas de Segurança Pública (Risp) obtiveram resultados satisfatórios. "Temos que destacar a região de Marabá, que engloba 16 cidades, pois lá a redução foi de 12% nos homicídios. Antes, os patamares estavam no nível da área metropolitana de Belém. Pelo resultado, a equipe está de parabéns", disse. Apenas em março de 2015, os dados das Polícias Civil e Militar registraram 12 casos de homicídios, de sete como meta trabalhada para aquele mês. 

Representante da região de Carajás, o delegado Gabriel Costa aponta a integração como fator primordial para os bons resultados em Marabá e região. “A atuação integrada das Polícias Civil e Militar tem sido fundamental para a redução dos índices. Em junho, na cidade de Parauapebas, registramos somente um homicídio de 15 trabalhados como meta”, destacou. 

Um total de sete regiões atingiram as metas previstas na diminuição referente ao crime de latrocínio. O sinal de alerta é quanto ao crime de natureza patrimonial. Pela primeira vez, desde que foi instituído em 2014, pela Segup, o Prec não atingiu, em nenhuma Risp, meta referente ao crime de roubo. Os dados serão avaliados já no mês de agosto.

Para o titular da Segup, general Jeannot Jansen, a prestação de contas dos gestores demonstra a necessidade de avanços no combate ao crime relacionado a roubo, mas o encerramento do ciclo oferece motivos também de comemoração. “Essa é uma oportunidade de fazermos um balanço com todos nossos delegados e oficiais. Aumentamos as taxas de resolutividade dos crimes, apreendemos mais armas e criminosos”, ressaltou Jeannot.

A partir de agosto, o Programa de Redução da Criminalidade passa a contar com a presença de gestores do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves e do Departamento de Trânsito do Estado (Detran). Representantes dos dois órgãos, que também integram a Segup, apresentaram as metodologias que serão utilizadas na coleta de dados, assim como toda a estrutura necessária para atuação no programa.

À frente da Polícia Civil, o delegado Rimar Firmino se mostrou satisfeito com muito do que foi apresentado. “Temos conseguido conter muito da demanda criminosa em várias regiões, caso de Redenção, Parauapebas e Marabá. Vamos avançar”, disse o delegado geral. “Estamos empenhados em conter os crimes em todo o Estado com nosso efetivo e muito com a integração das polícias. Os índices serão incrementados positivamente por conta de nosso trabalho planejado e direcionado”, ressalta o comandante da Polícia Militar, coronel Roberto Campos.

Ao final do segundo dia, os gestores que atingiram as metas, receberam certificações e banners que simbolizam os resultados atingidos ao final do chamado primeiro u.

Por Sérgio Chêne

 
▲ Topo>