quarta-feira, 20 de julho de 2016

Executor filma momentos de assassinato de mulher

Um vídeo que circula pelas redes sociais mostra o homicídio de uma mulher após ser agredida e torturada por criminosos. Há indícios de que a execução ocorreu no bairro de Águas Lindas, em Ananindeua, Região Metropolitana de Belém (RMB), na última quinta-feira (14). 
O cenário das imagens e a forma como ocorreu a morte levam a crer que se trata do homicídio de Mayara da Silva Martins, 19 anos. O corpo da jovem foi encontrado pelo pai dela, na última sexta-feira (15), dentro da mata do Utinga, e estava com várias perfurações de tiros.
No vídeo, de aproximadamente um minuto, é possível ver os criminosos perguntarem à vítima - já muito ensanguentada e machucada - pelo endereço de um homem chamado Paulo, enquanto fazem ameaças de matá-la. Pelo menos dois suspeitos aparecem nas cenas: um segurando a arma e outro agredindo a mulher.
Ela diz, repetidas vezes, que não sabe onde é o endereço do tal homem, que “precisa levar” os criminosos “até lá”. Sob a mira do revólver, ela só consegue afirmar que a casa dele ficaria em Marituba, na “rua principal”.   
Os criminosos afirmam que a mulher já foi na casa dele, mas ela nega. Um dos criminosos fala para a jovem que ela irá morrer porque é “cagueta”.
Em determinando momento, o homem que segura a arma diz: “já chega de falar, agora é sal”. E, mesmo com a vítima implorando para não morrer, ele dispara diversas vezes contra a mulher.
Outro vídeo mostra a vítima já morta, achada por populares em meio a um matagal.
INVESTIGAÇÃO
A Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) afirmou, por meio de nota, que "a Polícia Civil já instaurou um inquérito para investigar a morte, por execução, de uma mulher, supostamente ocorrida no bairro de Águas Lindas, em Ananindeua, fato que vem sendo divulgado por meio de um vídeo nas mídias sociais".
A secretaria confirma a informação, ainda preliminar, que o assassinato teria ocorrido na última quinta-feira (14), e o corpo da vítima encontrado no domingo, 17. As investigações serão conduzidas pela Divisão de Homicídios.
(DOL)
 
▲ Topo>